Cultura

10 de março de 2016

Mozarteum Brasileiro, 37 anos de grandes realizações

A cidade de São Paulo tem uma das temporadas de concerto mais importantes da América Latina e não fica atrás de grandes centros internacionais. Um dos atores centrais dessa cena é o Mozarteum Brasileiro, que há 37 anos traz alguns dos maiores artistas internacionais para apresentações memoráveis em São Paulo e outras cidades do Brasil. Já estiveram no País graças ao Mozarteum as Filarmônicas de Berlim, Viena, Munique e Nova York, a BBC Philharmonic de Londres, a Royal Concertgebouw de Amsterdã e a Sinfônica de Cleveland, sob a batuta de Lorin Maazel, entre muitas outras.

Masterclasse_2-

Aluno e professor em uma das masterclasses

Criado com o objetivo de ser uma entidade promotora de grandes concertos internacionais, ao longo do tempo o Mozarteum ampliou sua atuação e se propôs fazer da cultura uma alavanca para o desenvolvimento. Além de programações com os grandes nomes da música clássica e popular, do Brasil e do mundo, a instituição realiza uma série de atividades – em sua maioria gratuitas – que podem ser apontadas como instrumento de transformação social, ampliando horizontes e proporcionando novas oportunidades para instrumentistas, cantores, estudantes, ouvintes e espectadores.

O Mozarteum Brasileiro, hoje, se consolida como instituição que transforma arte em bem-estar pessoal e de comunidades; incentiva a diversidade e o encontro de culturas; estimula inserção e desenvolvimento social; promove iniciação e aprimoramento técnico de crianças, estudantes e jovens artistas e amplia o universo de conhecimento de número crescente de pessoas.

Desde seu início, o Mozarteum Brasileiro realiza, por exemplo, concertos gratuitos em parques ou na consagrada série “Concertos do meio-dia”, que durante quase 20 anos levou apresentações ao Masp (Museu de Arte de São Paulo). Na última década, as atividades de disseminação de cultura ganharam força em número e poder de impacto, amplificando exponencialmente as perspectivas de milhares de pessoas de todas as faixas socioeconômicas e etárias.

Além de manter uma Orquestra Acadêmica, oportunidade a jovens músicos brasileiros de dividir o palco com estrelas internacionais, o Mozarteum Brasileiro realiza o já consagrado festival Música em Trancoso, oito dias de espetáculos de música e dança; a academia Canto em Trancoso, que reúne estudantes de todo o Brasil com possibilidade de bolsa na Alemanha, e as pioneiras masterclasses, clínicas de alto nível oferecidas pelos artistas estrangeiros a alunos de música avançados.

Aulas de iniciação musical a estudantes de escolas públicas, matinês clássicas para crianças e o Clube do Ouvinte, outras das atividades gratuitas do Mozarteum Brasileiro, estimulam o gosto pela música, ampliam repertório e oferecem alternativas de futuro a milhares de pessoas por ano.

Definitivamente, o Mozarteum Brasileiro tem protagonismo na história contemporânea da música no Brasil. Mas que isso, demonstra a cada realização que a diversidade, a integração entre o iniciante e o virtuose, a mescla de culturas e o incentivo à formação e ao aprimoramento do artista e de novas plateias não são um fim em si mesmo mas meios de se alcançar vida melhor para todos.

Ver comentários