RDIF: Laboratorios Richmond entrega o primeiro lote de mais de 1 milhão de doses da vacina Sputnik V produzida na Argentina ao Ministério da Saúde do país

por
agosto 12, 2021

PR NEWSWIRE

RDIF: Laboratorios Richmond entrega o primeiro lote de mais de 1 milhão de doses da vacina Sputnik V produzida na Argentina ao Ministério da Saúde do país

PR Newswire

O Laboratórios Richmond entregou 995.125 doses do primeiro componente da Sputnik V ao Ministério da Saúde da Argentina. A Empresa também forneceu 152,5 mil doses do segundo componente da  vacina, parte das 3 milhões de doses a serem produzidas e fornecidas em agosto.

MOSCOU, 12 de agosto de 2021 /PRNewswire/ — O Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF, fundo soberano da Rússia) e a empresa farmacêutica argentina Laboratórios Richmond SACIF anunciaram hoje  que o primeiro lote de mais de 1 milhão de doses da vacina Sputnik V produzida no país foi entregue ao Ministério da Saúde.

RDIF Logo

No total, o Laboratórios Richmond forneceu 995.125 doses do primeiro componente e 152.500 doses do segundo componente da vacina Sputnik V, produzidos nas instalações da empresa. Esta é a primeira entrega do segundo componente do Sputnik V das 3 milhões de doses a serem produzidas e fornecidas pelo Laboratórios Richmond em agosto.

A vacina fornecida fará parte do Plano Estratégico de Vacinação do Ministério da Saúde. A Sputnik V produzida localmente foi  supervisionada e verificada pela Administração Nacional de Medicamentos, Alimentos e Dispositivos Médicos da Argentina (ANMAT) e cumpre todos os requisitos de qualidade.

A Argentina foi o primeiro país da América Latina a autorizar a Sputnik V e a iniciar sua  produção. A vacina foi registrada  no país sob o procedimento de autorização de uso emergencial e o combate ao coronavírus com a vacina russa começou em  29  de dezembro de  2020.  O RDIF e os parceiros facilitaram a transferência de tecnologia para o Laboratórios Richmond para a produção local da vacina.  

Até o momento, a vacina Sputnik V foi registrada em 69 países em todo o mundo, com uma população total de mais de 3,7 bilhões de pessoas. Os dados obtidos pelos reguladores de vários países durante a vacinação da população, incluindo na Argentina, Sérvia, Bahrein, Hungria, México, San Marino, Emirados Árabes Unidos e outros, demonstram que a Sputnik V é uma das vacinas mais seguras e eficazes contra o coronavírus. Em particular, a Sputnik V demonstra maior eficácia contra a variante Delta do coronavírus do que muitas outras vacinas. A vacina é 83,1% eficaz e mostra redução de 6 vezes do risco de infecção. A Sputnik V também é 94,4% eficaz contra as hospitalizações com redução de 18 vezes no risco de hospitalização.

Além da transferência de tecnologia para produção da Sputnik V na Argentina, o RDIF também é parceiro de estudos sobre a combinação do primeiro componente da Vacina Sputnik V  (vacina Sputnik Light baseada no sorotipo 26 de adenovírus humano)  com outras vacinas aprovadas no país.

A abordagem heterogênea de impulsionamento (“coquetel de vacina” usando o sorotipo 26 do adenovírus humano como primeiro componente e sorotipo de adenovírus humano 5 como segundo componente) estava na base da Sputnik V, a primeira vacina do mundo registrada contra coronavírus. Com sua abordagem  se mostrando bem sucedida na criação de uma  imunidade mais longa e mais durável contra o coronavírus, o RDIF assumiu a liderança em novembro de 2020  ao iniciar parcerias com outros produtores de vacinas para realizar estudos conjuntos de uma combinação do primeiro componente da Sputnik V com vacinas estrangeiras.

Os resultados iniciais de segurança do estudo randomizado para avaliação da resposta imune e segurança de regimes heterogêneos que combinam Sputnik Light e vacinas produzidas pela AstraZeneca, Sinopharm e Moderna na província de Buenos Aires confirmam um alto perfil de segurança de combinações sem eventos adversos  graves relacionados à vacinação.

Atualmente o RDIF, os ministérios da Saúde e da Ciência da Argentina e o Conselho Nacional de Pesquisas Científicas e Técnicas (CONICET) estão conduzindo um estudo mais amplo para avaliar a resposta imune e a segurança de regimes heterogêneos combinando a Sputnik Light e vacinas produzidas pela AstraZeneca, Sinopharm e Moderna na cidade e província de Buenos Aires e nas províncias de San Luis, Córdoba e La Rioja.

Kirill Dmitriev, CEO do Fundo de Investimento Direto Russo, disse:

“O segundo componente da Sputnik V produzido pelo  Laboratórios Richmond na Argentina é  entregue exatamente como anunciado no início de agosto. A cooperação entre o RDIF e o Laboratórios Richmond dá suporte ao programa nacional de vacinação na Argentina através do fornecimento de uma das melhores vacinas COVID do mundo. Mais lotes do segundo componente produzidos localmente seguirão nas próximas semanas.

Rússia e Argentina estabeleceram uma parceria abrangente na luta contra o coronavírus, incluindo produção local e suprimentos de Sputnik V, bem como a realização de estudos sobre a combinação da Sputnik Light com outras vacinas. Isso demonstra um exemplo perfeito de união de forças em várias áreas-chave para proteger as pessoas da Argentina e ajudar o país a voltar à vida normal em breve. “

Sputnik V tem uma série de vantagens principais:

  • A eficácia do Sputnik V é de 97,6% com base na análise de dados sobre a taxa de infecção por coronavírus entre aqueles na Rússia vacinados com ambos os componentes da Sputnik V de 5 de dezembro de 2020 a 31 de março de 2021;
  • A vacina Sputnik V é baseada em uma plataforma comprovada e bem estudada de vetores adenovirais humanos, que causam o resfriado comum e existem há milhares de anos.
  • A Sputnik V foi pioneira no uso de reforço heterogêneo (dois vetores diferentes para as duas doses em um curso de vacinação  entre vacinas COVID). Esta abordagem prevê  imunidade com uma duração maior do que as vacinas usando o mesmo mecanismo de entrega para ambas as doses.
  • A segurança, a eficácia e a falta de efeitos negativos a longo prazo das vacinas adenovirais foram comprovadas por mais de 250 estudos clínicos ao longo de duas décadas.
  • Não há alergias fortes causadas pelo Sputnik V.

O Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF) é o fundo soberano da Rússia criado em 2011 para fazer co-investimentos de capital próprio, principalmente na Rússia, ao lado de investidores financeiros e estratégicos internacionais respeitáveis. A RDIF atua como um catalisador para o investimento direto na economia russa. A empresa de gestão da RDIF está sediada em Moscou. Atualmente, a RDIF tem experiência na implementação conjunta bem-sucedida de mais de 80 projetos com parceiros estrangeiros totalizando RUB 2,1 trilhões e cobrindo 95% das regiões da Federação Russa. As empresas de portfólio RDIF empregam mais de 1 milhão de pessoas e geram receitas que equivalem a mais de 6% do PIB russo. A RDIF estabeleceu parcerias estratégicas conjuntas com os principais co-investidores internacionais de mais de 18 países que totalizam mais de US$ 40 bilhões. Mais informações podem ser encontradas em  rdif.ru

Logo: https://mma.prnewswire.com/media/1140939/Russian_Direct_Investment_Fund_Logo.jpg

FONTE Russian Direct Investment Fund (RDIF)

Share on Twitter Share on Facebook