Inovação, propósito e tecnologia potencializam a experiência humana

O consumidor está mais conectado e exigente e, para atendê-lo, as marcas precisam investir em mais relevância, contexto e personalização em suas comunicações

Compartilhe

4 de maio de 2022

Planejar estratégias bem-sucedidas, que envolvam e encantem os clientes, tendo-os sempre no centro dos negócios, é tarefa bastante desafiadora no mundo pós-pandêmico, em especial para os profissionais de marketing. Com uma série de dados robustos e tecnologias avançadas para ajudar na inteligência do planejamento, os profissionais devem estar totalmente antenados com as novas demandas desse consumidor mais conectado e ativo.

A pesquisa “Global Marketing Trends 2022”, da Deloitte, ouviu 1.099 executivos globais, além de 500 consumidores brasileiros, e indicou que as empresas vêm priorizando o engajamento do cliente, assim como a produtividade, a aceleração digital e o bem-estar de suas equipes. O estudo foi tema de uma transmissão da TV Estadão, reunindo especialistas da empresa e de mercado para debater algumas das novas tendências e metas para os próximos 12 meses. Estiveram presentes Guilherme Evans, líder da Deloitte Digital; Glaucia Alves Guarcello, líder de Inovação da Deloitte; e Rodolfo Ribeiro, CEO e fundador da 7Waves.

Para Evans, a palavra-chave do momento é “complexidade”. “Nesses dois anos de pandemia, o consumidor se tornou mais exigente; a própria adoção dos canais digitais nos tornou mais exigentes”, diz. “Nós esperamos relevância, contexto e personalização na comunicação das marcas.” Por outro lado, o especialista entende que todo esse panorama levanta preocupações com privacidade e proteção de dados. “Quando recebemos uma comunicação redonda, que fala diretamente conosco, ficamos preocupados em saber de onde veio esse dado – como foi coletado, onde está armazenado e o que mais está sendo feito com aquela informação.”

Diante desse cenário, o marketing não deve deixar de ser criativo, mas sim ganhar uma nova dimensão para trabalhar com dados.

Ações e valores em foco

Para Rodolfo Ribeiro, da 7Waves, esse desafio passa por entender que todos hoje têm muita informação, fazendo com que criem muito mais consciência das situações. “O comportamento coletivo que se gera quando uma organização exerce uma prática não condizente com o que é moral faz com que ela seja cancelada, perca negócios”, avalia o executivo. Isso acontece porque o empoderamento do consumidor moderno o torna muito mais preocupado com o propósito daquela organização quanto a questões ambientais e legais, além, claro, de continuar exigindo qualidade do produto e atenção da empresa.

Glaucia Guarcello destaca que um dos grandes pontos de atenção para as marcas neste novo marketing é a coerência. “Com todo o advento das tecnologias e o poder que o consumidor tem em relação às marcas, uma mensagem desconectada da realidade prejudica absurdamente sua valorização.” A líder de Inovação da Deloitte aponta uma das conclusões da pesquisa, que mostra que as empresas que mais têm conseguido crescer são aquelas que usam o propósito de maneira fundamental para trazer sua mensagem de marca, valendo-se da própria opinião dos consumidores para alavancar seus negócios.

“Isso também vai balizar o trabalho dos funcionários, seja em atrair talentos que vão se identificar com aquela mensagem de marca, nas ações de retenção e na tomada de decisões no dia a dia, além das ações de investimentos relacionados à responsabilidade social”, completa Glaucia. Esses fatores funcionarão ainda como guias para inspirar o lançamento de novos produtos e serviços, encontrando-se com a inovação.

Você pode assistir à gravação do painel, que teve a mediação do jornalista Daniel Gonzales, em TV Estadão.