Paixão por moda incentiva amigas a desenvolver roupas sustentáveis

Bárbara e Paula apostam em peças originais para criar a AMAR

Reinventar peças de roupa virou negócio nas mãos de Bárbara Zanella, 29, e Paula Scalco, 28. As sócias dividem o comando da AMAR Moda Sustentável, marca de roupas com foco no consumo consciente. Elas garimpam itens em brechós e os transformam, com novos cortes e texturas, ou usando bordados, aplicações e estamparia. “Fazer a moda circular” é o combustível da dupla.

Bárbara sempre teve o hábito de reformar as próprias roupas, e não costumava comprar nada caro. Pelo contrário: ela acredita que a moda pode ser uma expressão individual da personalidade e do estilo, independentemente do preço das peças. “Sabe aquela arara perdida no canto das lojas de departamentos? Eu sempre achava alguma coisa bacana lá. E, quando não encontrava, fazia. Sou contra pagar caro por uma roupa”, diz.

“As pessoas amam nossas roupas. Como sabem que são únicas, assim que postamos na internet, elas são vendidas”. Bárbara Zanella

Com Paula, acontecia o mesmo, só que a praia dela é o bordado. Uma camiseta básica ganhava detalhes coloridos e se transformava em uma nova peça, totalmente original. O hábito evoluiu para negócio, e originou a AMAR. Cada peça da marca é única, e a produção é feita por Bárbara e Paula em ateliês dentro de casa, em São Leopoldo, no Rio Grande do Sul. As roupas são vendidas no site e em feiras do setor.

Currículo, nunca mais

As duas falaram sobre abrir o negócio pela primeira vez em 2015. Bárbara é formada em Relações Internacionais, e estava cansada da rotina de grandes empresas. Já Paula é advogada e trabalhava no Ministério Público.

No período de um ano e meio, elas se organizaram para montar a empresa, mas ainda mantinham empregos paralelos. Em junho de 2017, resolveram investir todo o tempo que tinham em fazer da AMAR um negócio com potencial para crescer.

“Nos preocupamos muito que as feiras onde expomos nossa marca tenham a mesma pegada consciente”.
Bárbara Zanella

“Para mim, foi quando virou algo real. Percebi que eu não ia mais ter de viver de outro trabalho. Nunca mais mandei currículo”, conta Bárbara.

Aprendizado a cada dia

Encontrar clientes não foi o mais desafiador. Com ajuda das redes sociais, elas atraíram um público que desejam ter peças diferentes no guarda-roupa, sem pagar muito caro. “As pessoas amam nossas roupas. Como sabem que são únicas, assim que postamos na internet, elas são vendidas”, diz Bárbara.

Mas cada decisão do negócio vem do aprendizado do dia a dia. Aos poucos, as sócias perceberam que muitas clientes queriam provar as roupas antes de comprá-las. Por isso, passaram a levar a marca também para feiras, sempre com o viés da sustentabilidade. “Nos preocupamos muito que o local tenha a mesma pegada consciente da AMAR. Não faria sentido estarmos em feiras que não conversam com isso”, afirma a empresária.

A gestão financeira da empresa é feita pelas duas sócias, que dividem os lucros. “O que entra e o que sai é pequeno, mas sempre conseguimos nos organizar”, explica Bárbara.

“Nosso objetivo é colocar a nossa marca dentro de outros estabelecimentos, e que os clientes possam ver uma peça e reconhecer a AMAR”.
Paula Scalco

O registro do que entra e das contas a serem pagas pode ser feito de várias maneiras, umas mais práticas que as outras. Sistemas de gestão financeira, como o QuickBooks, permitem que os sócios tenham controle total sobre o fluxo de caixa, facilitando o planejamento das retiradas mensais.

O próximo passo é fazer da AMAR uma marca reconhecida pelo seu conceito e revendida em lojas de terceiros. “Nosso objetivo é colocá-la dentro de outros estabelecimentos, e que os clientes possam ver uma peça e reconhecer a AMAR”, afirma Paula.