Negócio entre amigos dá certo? Inspire-se na história desse trio de produtores

Ivan, Daniel e Francesco dividem o sucesso da HC Unit, produtora de vídeos em São Paulo

Mais do que sócios, Ivan Martinez, 38, e os produtores de vídeo Daniel Pacífico, 36, e Francesco Sciammarella, 36, compartilham uma amizade de mais de 20 anos que se transformou em negócio.

Vizinhos no bairro da Aclimação, na capital paulista, Ivan e Francesco se conheceram ainda adolescentes, quando ambos frequentavam a mesma locadora de games. A amizade de Francesco com Daniel, que também morava perto, começou na mesma época. Os dois chegaram a trabalhar juntos em outras empresas, até surgir a ideia de fundar um negócio juntos.

“Quando usava planilhas, tinha que fazer filtros para verificar cada uma dessas coisas. Agora, já consigo saber se meu mês vai ser bom ou ruim.” – Ivan Martinez

O trio resolveu unir forças e trazer para sua empresa o que cada um tinha de melhor: Daniel trabalha como diretor de produção, enquanto Francesco atua como diretor de criação e Ivan é o produtor executivo, além de fazer a gestão financeira.

A HC Unit, produtora de vídeo com foco em conteúdo e cobertura de eventos, está no mercado há três anos. Começou produzindo videoclipes, mas a informalidade do setor trouxe a decisão de migrar para conteúdo de outros tipos.

“Estamos vivendo a revolução do vídeo. Hoje, o impacto das redes sociais é muito grande. Então, as empresas começaram a pedir vídeos para esses canais, com informações institucionais, ou coberturas de eventos”, diz Ivan.

“Consegui visualizar quanto estávamos gastando de aluguel de equipamento. O uso do QuickBooks teve resultados práticos no negócio.”
Ivan Martinez

Como outros negócios de pequeno porte, a dificuldade inicial foi dar conta do trabalho principal da empresa — captar imagens, editar, receber o feedback dos clientes, fazer ajustes — e conciliar isso com a parte administrativa: organização financeira, aluguel de equipamentos e gestão logística, entre outros fatores.

O processo de mudança para um controle maior das contas aconteceu com a ajuda do QuickBooks, sistema de gestão financeira adotada por Daniel e Francesco logo no início do negócio. Quando Ivan entrou na sociedade, logo depois, o uso do sistema foi ampliado.

O que primeiro chamou a sua atenção foi o dashboard, ou seja, o painel inicial do QuickBooks.  “Você entra e já sabe o que tem para receber, quanto tem para gastar, e a previsão de resultado líquido do mês. Quando usava planilhas, tinha que fazer filtros para verificar cada uma dessas coisas. Agora, já consigo saber se meu mês vai ser bom ou ruim”, diz Ivan.

“Queremos crescer de forma estruturada: montar um estúdio de gravação de som, depois de captação de vídeo. Vamos criar novas unidades de negócio.”
Ivan Martinez

Investir para economizar

O QuickBooks tem a vantagem de sincronizar os dados registrados na nuvem e, assim, podem ser acessados pelo computador ou pelo aplicativo no celular. Para Ivan, os relatórios customizáveis do sistema ajudaram a entender melhor a situação financeira da empresa, e a checar em que áreas do negócio havia custos excessivos.

“Consegui visualizar quanto estávamos gastando de aluguel de equipamento. Percebemos que, nos 4 meses em que alugamos microfones, conseguiríamos comprar um novo, nosso, e reduzir esse custo. O uso do QuickBooks teve resultados práticos no negócio”, observa.

Outra medida foi determinar o pró-labore, espécie de salário dos sócios-administradores de uma empresa, estabelecendo valores fixos a serem retirados todo mês pelos três. “Antigamente, não havia controle, pagava-se as contas e todo mundo dividia o que sobrava”, lembra Ivan.

Agora, com a gestão financeira mais organizada, os sócios querem fazer sua empresa crescer. Os próximos projetos incluem a contratação de mais funcionários, a compra de equipamentos e o aumento da estrutura. “Queremos crescer de forma estruturada: montar um estúdio de gravação de som, depois de captação de vídeo. Vamos criar novas unidades de negócio”, projeta Ivan.