Irmãos abrem empresa, investem na simplicidade e apostam em modelo único de cueca

Com essa estratégia, a Bunker conseguiu reduzir processos e focar na qualidade do produto

Você apostaria em um negócio que vende somente cuecas pretas? Ele não só existe, como é um sucesso de vendas no Rio de Janeiro. Criada pelos irmãos Felipe, Rafael e Fábio Braga há dois anos, a Bunker apostou na simplicidade para conquistar os clientes. E deu certo.

 

Rafael conta que o trio visualizou uma boa oportunidade de negócio quando se deu conta que a maioria dos amigos reclamava da qualidade e da falta de acabamento das roupas íntimas. “Percebemos que as pessoas não compravam cuecas com a mesma empolgação de uma camiseta, por exemplo. Aí vimos que seria interessante empreender nessa área”, conta Rafael.

 

Os irmãos Braga, então, decidiram vender a peça. Mas como queriam entrar no mercado com algo novo, resolveram fazer uma pesquisa para descobrir o que seria mais certeiro nas vendas. Montaram um formulário e saíram distribuindo entre os amigos, conhecidos e desconhecidos perguntando qual a preferência em roupa íntima masculina. Na pesquisa, o trio detectou que 84% dos homens e mulheres preferiam a cueca boxer preta.

 

Com o modelo decidido, surgiu primeiro grande desafio: como colocar de pé um negócio que envolvia confecção e moda, sem que nenhum dos três contasse com experiência na área? “A gente não tinha nenhum conhecimento técnico, mas entender o que estávamos fazendo, pesquisando tecidos, costuras e conversando com diversas pessoas. Arriscamos, mas deu certo”, fala.

 

O modelo acabou virando a identidade da marca, que tem essa mesma linha de produção desde a inauguração. A preocupação com qualidade garantiu a conquista não apenas do público masculino. “Não é só homem que compra com a gente. Tem muita mulher que curte usar Bunker para ficar em casa, para fazer um estilo”, conta Rafael.

"Percebemos que vender apenas um modelo de cueca era uma estratégia boa, tanto na perspectiva de mercado, quando operacional."
Rafael Braga

A fabricação de uma só peça traz uma série de vantagens para a empresa. “A gente acha uma estratégia boa, tanto na perspectiva de mercado, quanto operacional. Como só trabalhamos com uma cor, um único modelo e o mesmo tecido, fica mais fácil de repor estoques e de fabricar”, afirma Rafael.

 

O empresário conta que eles entregam os tecidos para uma confecção parceira, que devolve os modelos prontos. Mas todo controle de produção é feito pelos irmãos Braga, desde a compra da matéria-prima até o marketing de vendas.

 

Na gestão financeira, os empresários contam com o trabalho de uma funcionária e a ajuda do QuickBooks. Até oito meses atrás, Carolina Elias era responsável pelas planilhas de gastos, mas sentia a necessidade de algo que organizasse o controle financeiro, que fosse mais ágil e diminuísse o número de relatórios. Um dia, enquanto usava as redes sociais, descobriu o sistema e o apresentou ao trio. Os irmãos avaliaram e acharam que o QuickBooks combina com o estilo da Bunker, porque valoriza a simplicidade.

"O QuickBooks nos ajuda a cuidar da saúde financeira da Bunker. Através dele a gente tem todo o controle financeiro e pode se programar até para aumentar o faturamento."
Rafael Braga

Rafael lembra que o sistema trouxe facilidades à rotina da empresa. “Ele nos ajuda a cuidar da saúde financeira da Bunker, na previsão dos gastos, compras, despesas, receitas, fluxo de caixa e faz todo o nosso controle financeiro”, conta Rafael. Ele garante que, com as projeções feitas no QuickBooks, é possível criar metas de vendas e buscar mais lucro.

“Nossa expectativa é explorar ainda mais a marca, estar em mais pontos de venda, com uma produção maior para vender ainda mais”,

Rafael Braga

 

Com registro de lucro nos dois anos de sua história, a empresa espera um faturamento ainda maior para 2019, depois de fazer ajustes e organizar as embalagens. Mesmo que a maior parte das vendas seja online, os irmãos estudam ampliar os locais para a comercialização do produto em São Paulo – hoje, eles mantêm pontos de venda no Rio de Janeiro e Minas Gerais. “Nossa expectativa é explorar ainda mais a marca, estar em mais pontos de venda, com uma produção maior para vender ainda mais”, afirma.