Do prejuízo financeiro ao próprio negócio: como o coaching transformou sua história de vida em empresa de sucesso

Depois de ter duas empresas diferentes, Thiago Burigatto abriu uma plataforma de treinamentos online e agora trabalha para ganhar novos alunos

O empreendedorismo já é uma marca na trajetória profissional de Thiago Burigatto. Aos 28 anos, ele teve dois negócios — uma empresa de desenvolvimento de sites e uma escola de cursos profissionalizantes —, e hoje é dono de uma plataforma de treinamentos online voltados para inteligência social, com base em conceitos de marketing. Mas para quem pensa que foi fácil, ele logo deixa claro: “Passei por muitas situações complicadas nesses anos. Cheguei a perder R$ 50 mil. A partir daí, comecei a fazer uma retrospectiva da minha vida para entender o que estava errado”, lembra.

“Passei por muitas situações complicadas nesses anos. Cheguei a perder 50 mil reais.”
Thiago Burigatto

Foi essa análise, há pouco mais de um ano, que fez ele se dedicar de forma exclusiva a seu mais novo empreendimento. Burigatto começou a buscar na sua história pessoal as fontes de inspiração: “Aos 7 anos, perdi meu pai. Então tudo que aprendi foi por conta própria. Isso teve reflexo durante muito tempo na minha vida profissional, e percebi que a forma como nos relacionamos com as pessoas é extremamente importante para o sucesso”, diz. Foi aí que veio o clique, e Burigatto percebeu que a área de relacionamentos e treinamentos pessoais era o alvo da sua próxima empreitada.

Em meados de 2015, ele havia feito um curso de marketing digital, ao mesmo tempo em que se especializava em dinâmicas de inteligência social, que pode ser traduzida como a capacidade de compreender e influenciar positivamente as pessoas. Burigatto resolveu então usar seu canal no YouTube para compartilhar os conteúdos aprendidos com os mais de 50 mil inscritos. Mas ele não se considera um youtuber. “As redes sociais são um meio de divulgar meu trabalho, não o meu trabalho em si”.

É por isso que Burigatto mantém um site próprio, onde oferece conteúdos pagos e consegue monetizar o negócio. Ele oferece aulas online com base em uma metodologia que desenvolveu, chamado Método Leis de Persuasão. Na prática, ele ensina ferramentas para melhorar as relações entre as pessoas. São aulas curtas, gravadas em vídeo. Desde que lançou a primeira gravação, ele mantinha uma preocupação com o futuro do próprio negócio: como organizar a gestão financeira?

“Quando entrarem os clientes, como vou me organizar financeiramente? Era meu único pensamento."
Thiago Burigatto

Por já ter experiência em empreender, Burigatto sabia que, para fazer a plataforma funcionar, precisava de soluções práticas. “Quando entrarem os clientes, como vou me organizar financeiramente? Esse era meu único pensamento. Por isso, procurei um sistema de gerenciamento financeiro e logo me identifiquei com o QuickBooks, que tem mais ferramentas importantes para o meu negócio”, diz.

O coaching se refere aos relatórios disponibilizados pelo sistema, que permitem visualizar a gestão financeira de forma integrada: quanto dinheiro entrou, quanto dinheiro saiu, pagamentos a receber, contas a pagar. Com isso, ele consegue ter um controle melhor do negócio, já que oferece aos clientes pelo menos três formas de assinatura.

“No QuickBooks, quando cadastro um novo cliente e seu pagamento, consigo colocar a recorrência por semana, mês, trimestre, semestre. Para mim, isso é fundamental, porque eu ofereço essas possibilidades de pagamento no meu negócio”, conta.

Aos poucos, a gestão financeira deu resultados: investiu em especialização e formou-se coach pelo Instituto Geronimo Theml. Burigatto também conseguiu montar um estúdio próprio, em casa, onde grava seus vídeos. Ele tem uma rotina semanal para fazer a plataforma crescer. “Nesse um ano de atividades, já passaram por mim mais de 150 pessoas. Hoje, tenho 60 clientes recorrentes”, comemora.

Mas ele não quer parar aí. Crescer é a meta principal. “Sou apaixonado pelo que faço e, até o final do ano, quero ter 200 pessoas em meus treinamentos”, conta.

“Sou apaixonado pelo que faço e, até o final do ano, quero ter 200 pessoas em meus treinamentos.”
Thiago Burigatto