Designer conta os segredos para fazer dar certo o primeiro negócio

Mariane Mendes é freelancer e se orgulha de ter dado um novo rumo para a carreira depois de fundar a própria empresa

O roteiro escola-faculdade-emprego parecia um caminho certo na vida profissional da designer Mariane Mendes, 26 anos. Até que ela percebeu que a carreira dentro do escritório onde trabalhava não tinha perspectiva de futuro. Há mais de dois anos, passou a organizar as contas, procurar novos clientes e dar os primeiros passos em direção ao próprio negócio. Hoje, empreende com a Mariana Mendes Design, atendendo a clientes com serviços de identidade visual e design para marketing.

A preparação para manter a renda em dia era fundamental para fazer a mudança – e um dos segredos do sucesso. Como Mariane já morava em Juiz de Fora (MG), longe da família que é natural de Carangola (MG), tinha o próprio orçamento para cumprir. Em meados de 2016, começou a captar clientes pontuais, enquanto permanecia no trabalho formal em uma agência de marketing digital. Simultaneamente, abriu uma loja online de poster decorativo. Fazia as ilustrações e buscava fornecedores para as molduras que entregava aos clientes.

“Tinha duas opções: conduzir minha carreira para o lado da decoração ou para o campo da identidade visual, o que acabou acontecendo”, conta. A escolha pela segunda opção se deu, para Mariane, a partir de uma observação de mercado: crescia muito a demanda por trabalhos de identidade visual. Ao mesmo tempo, estava insatisfeita com os serviços prestados pelos fornecedores na loja online. “O mercado me mostrou o caminho que deveria seguir”, lembra.

“A gente tem que vestir a camisa do empreendedor. Pensar em estratégias, traçar metas, atender clientes. Eu não podia ser amadora em nenhum desses aspectos”
Mariane Mendes

Para Mariane, o maior desafio de empreender foi ganhar mais responsabilidade e adquirir conhecimento em outras áreas que não a criativa. “A gente tem que vestir a camisa do empreendedor. Pensar em estratégias, traçar metas, atender clientes. Eu não podia ser amadora em nenhum desses aspectos”, narra. Daí a decisão também de buscar um sistema de gerenciamento financeiro que a auxiliasse a controlar as contas de forma integrada e profissional.

A designer encontrou em anúncios na internet o QuickBooks, que permite registrar todas as entradas e saídas. Com ele, Mariane gera relatórios que tornam mais fácil o controle do fluxo de caixa. Além disso, o recurso de alerta de pagamentos por e-mail ajuda a empreendedora a organizar o dia. “A primeira coisa que faço ao acordar é ler os e-mails. Então, vendo a notificação ali, já me lembro dos pagamentos, tanto dos que tenho que receber quanto pagar”, conta.

“Quando visualizo meus gráficos no QuickBooks, vejo um crescimento exponencial. Com as planilhas, demorava mais tempo para aprender as fórmulas do que para preenchê-las”
Mariane Mendes

Para Mariane, visualizar os resultados em gráficos é a principal vantagem do sistema. Como designer, ela valoriza ter um recurso visual que facilita o controle do fluxo de dinheiro. Antes de usar o QuickBooks, adotou planilhas, mas o tempo perdido era muito valioso: “Eu demorava mais tempo para aprender as fórmulas do que para preenchê-las. O QuickBooks permite que você veja o mês que foi bem, o mês que foi mal, o que exatamente você tem que fazer para melhorar. Quando está numa empresa que não é sua, não consegue perceber o retorno do seu trabalho. Com o sistema, sim”, relata.

É esse retorno que Mariane pretende empregar no crescimento da empresa. A médio prazo, quer montar uma equipe para ajudá-la na entrega de demandas. “Quando visualizo meus gráficos no QuickBooks, vejo um crescimento exponencial, e isso é ótimo até para eu saber quando consigo pagar um salário. Você vê seu negócio crescendo e toma coragem para assumir riscos”, conta ela.

“Você vê seu negócio crescendo e toma coragem para assumir riscos.”

Mariane Mendes