Quantas vezes você já se cobrou demais durante a realização de tarefas do dia a dia e deixou de dormir por isso? Esse pode ser um sinal de ansiedade acentuada. Esses e outros sintomas e contextos propícios para a doença foram temas do Fórum Estadão: Precisamos Falar sobre Ansiedade.

Realizado no último dia 29 de maio, o evento foi promovido pelo Estadão, em parceria com a Faap e contou com o patrocínio do Laboratório Libbs. O debate trouxe especialistas que abordaram o tema em detalhes. Entre eles o historiador Leandro Karnal, que comentou sobre a pressão das redes sociais nos jovens. “Vivemos a teologia do empreendedorismo”, disse. “Com ela, você aprende que basta um desejo para ser um pianista perfeito ou um Leonardo da Vinci. E, claro, ainda precisa ser magro!”.

Também presente no palco, a psicanalista e professora da Faap, Rosely Sayão, afirmou que a fonte de preocupação de alguns jovens pode estar no pais, que exigem bons desempenhos de seus filhos por esperaram realizações que eles não conseguiram alcançar. “Nunca se mirou tanto o futuro. E isso afeta diretamente a vida das crianças, o tempo todo avaliadas”, disse a psicóloga.

Além dos dois especialistas, os psiquiatras Luiz Vicente Figueira de Mello, Daniel Martins de Barros e Neury J. Botega também marcaram presença.

Conheça abaixo os nove tipos de transtornos mais comuns relacionados à ansiedade:

– Transtorno de Pânico

– Agorafobia

– Fobias Específicas

– Transtorno de Ansiedade Social (Fobia Social)

– Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG)

– Transtorno de Ansiedade de Separação

– Mutismo Seletivo

– Transtorno de Ansiedade Induzido por Substância/Medicamento

– Transtorno de Ansiedade Devido a Outra Condição Médica

 

Share on Twitter Share on Facebook